Como posso imprimir páginas do website Cavernoma Portugal?

Questões a colocar ao Médico

 

As primeiras consultas com neurologistas e/ou neurocirurgiões são momentos importantes para começar a conhecer a doença. 

Por isso, preparámos uma lista de perguntas para colocar-lhe, para perceber melhor o que se passa consigo. 

Recomendamos ir à consulta com alguém de confiança, para que possa tomar notas sobre o que vai sendo referido pelo especialista e, ainda para que possa  apoiá-lo em tudo que  seja necessário. 

  1. Quantos cavernomas tenho?
  2. Qual é o tamanho do(s) meu/meus cavernoma(s)/angiomas cavernosos?  
  3. Qual é a localização exata do(s) meu/meus cavernoma(s)?
  4. Em que parte do cérebro está ou estão localizados?
  5. A localização rigorosa do(s) cavernoma(s) é clara através da interpretação da ressonância magnética?
  6. Que áreas e funções do meu cérebro são afetadas por causa do(s) meu/meus cavernoma(s)?
  7. O cavernoma já terá sangrado anteriormente?
  8. Perante o meu quadro clínico, recomenda a cirurgia para remoção do(s) meu(s) cavernoma(s)?
  9. Existem outros tratamentos possíveis para mim, sem ser o recurso á cirurgia ?
  10. Que outros exames complementares me recomenda fazer, para além do TAC e da ressonância magnética que já fiz?
  11. Ouvi falar de um exame que se chama angiograma. É indicado para o meu caso?
  12. Se eu tiver outro sangramento, que consequências poderei sofrer?
  13. Que sintomas posso sentir que justificam entrar em contacto telefónico consigo?
  14. Ou devo dirigir-me de imediato à urgência do hospital mais próximo?
  15. Os meus filhos devem realizar testes ?
  16. E outros elementos da minha família? 
  17. Devo fazer um teste genético para saber se sofro de forma hereditária da doença?
  18. Também devo fazer exames para saber tenho outros cavernomas, em outras partes do meu corpo?
  19. A minha coluna vertebral também deve ser examinada?
  20. Esta doença causa distúrbio raros no meu corpo? 
  21. Ouvi dizer que esta doença afeta uma pessoa em cada 600 pessoas. É verdade?
  22. Como é que o cavernoma se desenvolveu? 
  23. Existem vitaminas ou outros suplementos que devo tomar para melhorar a minha situação clínica?
  24. Posso fazer exercício físico e praticar desporto?
  25. Que outras atividades e sessões terapêuticas devo fazer? 
  26. Que tipo de modalidades desportivas são prejudiciais à minha situação clínica?
  27. Que restrições de outras atividades me recomenda?
  28. Está preocupado com a minha pressão arterial?
  29. Os anticoagulantes, como o ibuprofeno, são adequados para pessoas com cavernoma?
  30. Que medicamentos devo deixar de tomar? 
  31. Existem vitaminas ou outros suplementos que também devo suspender?
  32. É seguro viajar de avião? E de comboio? 
  33. Posso visitar locais de grande altitude?
  34. Posso beber álcool ou bebidas com cafeína?
  35. Que tipo de alimentação devo evitar? O que é que devo comer? E o que não devo comer?
  36. Posso levar uma vida normal ou quase normal?

Outras Questões Importantes 

  1. Com que frequência deverei consultá-lo, para me sentir seguro(a)?
  2. E, em caso da sua ausência, qual o médico da sua equipa que devo consultar?
  3. Qual é o risco do meu cavernoma voltar a sangrar?
  4. Com que frequência deverei fazer exames de acompanhamento?
  5. E que tipo de exames? 
  6. Que tipo de pesquisas continua a precisar de fazer para perceber  a minha situação clínica? 
  7. Que tipo de alterações no meu cérebro são fundamentais à minha recuperação? 
  8. Há alguma coisa que eu possa fazer para minimizar o risco de sangramento?
  9. Há alguma coisa que eu possa fazer para deixar de ter tonturas e mal-estar geral e com frequência?
  10. Já removeu muitos cavernomas do tipo do(s) cavernoma(s) que me afeta(m)? 
  11. Dada a localização do meu(s) cavernoma(s), que limitações psicomotoras e emocionais é natural que tenha?
  12. Quanto tempo demora a cirurgia?
  13. Quanto tempo é que preciso de ficar internada no hospital?
  14. Quanto tempo de recuperação deverei ter, após a cirurgia, e já em casa?
  15. Quando é que, após a operação, poderei voltar às minhas rotinas e ao meu trabalho, bem como a outras responsabilidades diárias?
  16. Que sintomas e consequências poderei ter, logo após a intervenção cirurgia?
  17. As limitações que irei sentir podem ser permanentes?
  18. Que tipo do(s) cavernoma(s) pode provocar-me uma nova cirurgia?
  19. Os cavernomas podem estar associados a outras patologias?
  20. Como posso saber se tenho outro sangramento?
  21. Gostaria de saber se tem muita experiência de fazer intervenções cirúrgicas em caso semelhantes à minha situação clínica?
  22. Quais são as situações clínicas mais graves em que o neurocirurgião opera para salvar uma pessoa com cavernomas? 
  23. Pode-se operar um doente com cavernomas, que esteja numa situação muito grave e em estado de coma? É possível?
  24. Quais são os riscos associados a uma intervenção cirúrgica feita a um doente que está em coma?
  25. Quais são os riscos associados a uma intervenção cirúrgica feita num paciente em que se induz o coma?
  26. Há ensaios clínicos para identificar os medicamentos que façam a prevenção de crescimento e de sangramento de cavernomas?